DIOR Hypnotic Poison Eau de Sensuelle Edp (Floral Oriental)

Tudo ou nada…

Primeiramente, quero deixar bem claro que esse é um perfume que você não pode nunca comprar no escuro. Como todos os outros Hypnotic Poison, ele é bem peculiar e não há meio termo, ou você vai ser completamente apaixonada ou vai odiar.

Ele é um perfume quente e bem forte, ou seja, se tentar usá-lo de tarde ou no calor extremo, confesso que fica um pouco sufocante e eu sinto que incomoda. Mas, por outro lado, é basicamente o perfume mais marcante e sexy que eu já experimentei. Ele é o meu velho de guerra, sabe? Aquele que você usa quando está toda trabalhada nas más intenções.

A descrição oficial declara que “Certamente, não há possível evocação floral sem a magia evanescente das rosas de damasco. O caráter voluptuoso da fragrância surge a partir da sutileza do ylang ylang somado ao jasmim e à flor de Azahar. O nardo e a baunilha dão o toque frutado e conferem à fragrância um rastro suave e inesquecível. Uma nota verde, de caules e folhas, se encarrega de estimulá-la. Ao final, o sândalo e o almíscar (Só lembrando que o almíscar da Dior é sintético e nenhum bichinho é machucado no processo de fabricação do aroma) harmonizam esta criação feita de curvas, à imagem e semelhança do corpo feminino. Hypnotic Poison Eau Sensuelle veste os impulsos apaixonados da sedução, para uma sensualidade à flor da pele.”

Bem, o Eau de sensuelle não combina muito com as meninas mais novinhas e a combinação do jasmim e o ylang-ylang me lembra demais o Chanel n.5. Esse fundo oriental de ylang ylang é notável, mas bem fraquinho. Nada daquele cheiro de incenso com loja de tapetes que a maioria dos produtos com essa base tem.

Sinceramente? Pra mim, o perfume cheira a flores, almíscar, baunilha e um toque de sal (Eu sei, não me pergunte como…. Mas, às vezes, o jasmim com baunilha surte um efeito “salgado”). É um perfume oriental, meio floral e meio amadeirado. Pode até parecer um pouco estranho e, à primeira vista, talvez até seja, mas eu não consigo ficar sem e sou completamente apaixonada por ele.

E aí meninas, alguém aqui já experimentou?

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on Pinterestshare on TumblrGoogle+

Os acababentos dos batons MAC

Uma das minhas primeiras dúvidas, quando comecei a me interessar mais por maquiagem, foi sobre os diversos acabamentos disponíveis na linha de batons da MAC. Eu sei que esse é um assunto mega explorado nos blogs de beleza por aí, mas como, todos os dias, diversas meninas começam a se aventurar por esse terreno, acho válido deixar um resuminho aqui. Então, vamos lá?

A MAC possui uma linha regular de batons, que ela chama apenas de “Lipstick”, composta por 8 acabamentos diferentes: Matte, Satin, Lustre, Glaze, Cremesheen, Amplified, Amplified Creme e Frost. Os da coleção Viva Glam também respeitam a essa mesma classificação de acabamentos. Isso vale tanto para os batons da linha regular, quanto para os de edições limitadas (que serão identificados com a sigla EL nas fotos abaixo).

Além desses mais básicos, existem os Pro Longwear Lipcremes e os Sheen Supremes, que não são subdivididos em acabamentos. Outras linhas como os Mattenes são, até agora, apenas de edições limitadas.

  • Matte

Extremamente pigmentados, opacos e sem nenhum brilho. É o acabamento que mais dura, mas também é o mais difícil de aplicar. O ideal é que os lábios estejam hidratados e sem aquelas pelezinhas soltando. Quando bem aplicados, ficam muito bonitos; mas é bom carregar na bolsa, pois quando eles finalmente saem, podem sair aos poucos, deixando a boca um pouco manchada.

É bom também dizer que nem todos os Mattes são iguais: o Ruby Woo, por exemplo, é o batom mais mate que já testei na vida. Ele é o protótipo perfeito do batom Matte: lindíssimo, mas bem difícil de ser aplicado. Já o Pink Plaid, apesar de opaco e bem pigmentado, não é tããããão mate assim, exigindo menos esforço.

  • Satin

São bem pigmentados, com acabamento acetinado e semi-opaco. Junto com os Amplified Cremes, são os meus preferidos atualmente. Não ressecam tanto os lábios quanto os Mattes, mas tem uma duração muito boa também.

  • Lustre

Acabamento semi-translúcido, com efeito molhado, tipo gloss, e pigmentação mediana pra baixa. São bem hidratantes, deslizam com facilidade e é uma delícia de aplicar. Apesar do efeito molhado, não é melequento, e a sensação nos lábios é bem confortável. A duração, naturalmente, é baixa.

Por ser mais discreto, era meu acabamento preferido até há pouco tempo (quando qualquer batom vermelho era demais para mim). Meu primeiro batom MAC foi justamente um Lustre: o Hug Me. Ainda guardo todo um carinho especial por ele, mas agora estou numa fase de batons mais fortes. Enfim, se você tem um estilo mais discreto ou quer um batom fácil de aplicar pro dia a dia e não se incomoda com a duração mais baixa, esse é o acabamento!

  • Glaze

Baixa cobertura, com acabamento translúcido e muito brilho.  São muito parecidos com os Lustres, mas com aspecto menos molhado. A duração também é semelhante.

  • Frost

Bastante bilho, com um acabamento perolado ou cintilante. A duração é mediana. Confesso que rolava todo um preconceito, da minha parte, com os Frosts, mas depois que usei esse da coleção “Hey, Sailor!”, minha opinião mudou e estou curiosa pra testar mais alguns.

  • Cremesheen

Muito cremosos, com efeito um pouco molhado e pigmentação mediana. São supostamente bem hidratantes, mas não noto esse efeito em mim. Acho que ele nem resseca, nem hidrata. A duração é mediana, mas transfere com facilidade.

  • Amplified e Amplified Creme

Acho a divisão desses dois um tanto confusa. No meu Chatterbox, por exemplo, vem escrito apenas Amplified. Mas quando entro no site da MAC, ele tá classificado como Amplified Creme. Como o meu outro Amplified é de edição limitada, estou começando a acreditar que todos os Amplifieds que testei foram, na verdade, Amplified Cremes, já que não vejo diferença de acabamento entre eles.

De qualquer forma, estão entre os meus batons preferidos. Têm muuuuita cor, com um acabamento cremoso e um brilho discreto. A duração é parecida com os Satins, mas acho que são mais hidratantes.

 

  • Pro Longwear Lipcreme

Os Pro Longwears são os batons de longa duração da marca, tendo uma embalagem diferente e o preço um pouco mais alto. Apesar desse apelo comercial, duram, em média, menos do que os da linha Matte e mais do que as outras coberturas. A grande vantagem é que são mais confortáveis de usar em relação aos Mattes, tendo um acabamento leve e sequinho, mas sem ressecar os lábios.

Não posso opinar sobre os Sheen Supremes porque nunca testei um, mas assim que conseguir, prometo que faço um post sobre eles.

E aí, meninas? Qual o acabamento preferido de vocês?

Os batons podem ser comprados nas lojas físicas da marca ou na Sephora, por 79 reais (linha padrão) e 94 reais (Pro Longwear). Na Brigette’s  a linha regular fica entre 10 e 21,50 dólares.

Share on FacebookTweet about this on TwitterPin on Pinterestshare on TumblrGoogle+